perguntas para a rede franqueadora

O processo de escolha de uma franquia é algo muito particular e não necessariamente a melhor franquia para você será também a melhor opção para outra pessoa. Isso porque, ao contrário do que muitos pensam, abrir uma franquia requer muita dedicação e empenho por parte do franqueado e suporte da rede franqueadora. Achar que você vai abrir uma franquia e vai ter sucesso fácil é um dos maiores mitos sobre franquias que há e o mais perigoso também!

A escolha da franquia ideal deverá estar alinhada com seu perfil como empreendedor e com seus planos, portanto escolher corretamente as perguntas que você deve fazer para a rede franqueadora é muito importante para sanar todas as dúvidas e evitar surpresas desagradáveis no futuro, principalmente sobre as necessidades do negócio que dependerão diretamente da gestão do franqueado.

Faça uma análise do seu perfil

Antes mesmo de começar a pesquisa sobre a franquia, recomendamos fortemente que você trace um perfil próprio para entender se de fato você está preparado para este novo negócio e principalmente alinhar suas expectativas com a rede franqueadora.

Eu como franqueado tenho disponibilidade e interesse em me dedicar a franquia? Quanto tempo eu estou disposto a dedicar por dia a essa operação? Eu tenho afinidade com a rotina de trabalho que essa franquia vai me exigir? Eu tenho interesse genuíno no mercado do qual a minha franquia vai fazer parte?

Escolher uma franquia baseado somente nos números de investimento e faturamento é o pior erro que você pode cometer!

Perguntas para a rede franqueadora

Se você já tem interesse em uma franquia, mas ainda não sabe quais as perguntas chave que deve fazer para a rede franqueadora, preparamos uma lista com 15 perguntas que você deve fazer para a rede franqueadora antes de finalizar o processo de abertura da franquia.

  1. Quais são as taxas e percentuais que eu pagarei como franqueado? O objetivo é obter informações sobre a taxa de franquia, os percentuais de royalties cobrados, se há taxa de publicidade e se há algum outro valor a ser pago. Além disso é importante saber sobre quais valores são aplicados esses percentuais.
  2. O que é esperado do franqueado e o que o franqueador vai oferecer como contrapartida? Quais são as habilidades que o franqueado tem que ter (ou desenvolver) para operar plenamente a franquia? Quais são as atividades que deverão ser realizadas pelo franqueado? Quais são os tipos de treinamento que a rede franqueadora oferece? Oferece suporte para os sistemas de gestão? Que tipo de acompanhamento periódico é feito? Ter muito claro o papel de cada uma das partes é ponto chave para uma relação madura e transparente.
  3. Como será a divisão de território para atuação da franquia? Com essa pergunta você terá informações sobre onde o franqueado poderá atuar e onde ele não poderá, quais são os critérios para definição deste território, como é feita a distribuição dos clientes (se a franqueadora é quem fornece os leads para o franqueado), quais são as regras de exclusividade de território e de preferência. Se a rede franqueada possui e-commerce ou delivery é importante se informar como isso impacta no faturamento do franqueado.
  4. Como funcionará o abastecimento da unidade? No caso de franquias de alimentos ou de vestuário, por exemplo, como será feita a realização dos pedidos e prazo de entrega? Existe quantidade mínima para os pedidos, o mix de produtos é personalizável ou é definido pela franqueadora? Se o franqueador não for o principal fornecedor, como é o processo de compras com os fornecedores homologados? Há uma central de compras ou o franqueado negocia diretamente com o fornecedor?
  5. Há fornecedores homologados ou o franqueado terá que desenvolver sua própria rede de fornecedores? Até onde vai a autonomia do franqueado para montar essa lista de fornecedores?
  6. Quais são os suportes que a franqueadora vai oferecer? Treinamentos, manuais, visitas de consultores, enfim, qual a estrutura que a franqueadora tem para atender as demandas da rede?
  7. Qual é o plano de expansão da franqueadora, quanto tempo ela tem de mercado e quanto ela já conquistou de espaço no setor? É importante aqui você avaliar o mercado como um todo! Muitas vezes as maiores franquias, apesar de terem uma marca consolidada podem não ser uma boa opção para o seu perfil empreendedor, principalmente se você não tem experiência. Grandes marcas geralmente possuem concorrentes igualmente grandes e as franquias metas agressivas de performance. Por outro lado, franquias mais novas em um mercado em crescimento podem ser uma ótima opção para você se estabelecer em um mercado ainda pouco explorado, mas com muito potencial. É o caso por exemplo de franquias de Coworking.
  8. Como os franqueados atuais estão em relação ao resultado do negócio? Como está a performance da unidade? O franqueado já teve retorno do investimento e em qual prazo isso ocorreu? Há franqueados com mais de uma unidade?
  9. Como será a integração do franqueado na rede? Ou seja, quanto tempo de treinamento, se este será presencial ou virtual, se será prático ou apenas teórico, se contempla também a equipe, e os custos envolvidos com esse treino serão de responsabilidade de quem?
  10. A rede possui unidades próprias? Escolher uma marca que não tenha unidades próprias pode ser um risco alto. Como essa franqueadora validou esse modelo de negócio sem unidades próprias? Como a rede franqueadora testará novos produtos, novas ferramentas, novos fornecedores? Como a rede franqueada vai perceber rapidamente problemas se não está na “linha de frente” de uma unidade?
  11. Qual é o histórico da franqueadora? Desde quando tem unidades em operação? Quando decidiu se tornar uma rede franqueadora e porque? Qual a experiência que ela tem no sistema de franquias e se foi assessorada por alguma empresa para fazer o projeto e se estruturar como franqueadora.
  12. A rede já teve unidades fechadas ou franqueados desligados da rede? Se sim, por quais motivos.
  13. Quais são os maiores desafios do negócio? Quais são os pontos que merecem atenção e talvez uma maior dedicação? É um desafio que você está disposto a enfrentar? É comum o franqueador focar no que ele tem de melhor para oferecer, mas é bom saber que não existe negócio perfeito e entender os pontos que o franqueado precisa ficar atento é extremamente importante.
  14. Como está a saúde da franqueadora? Ela possui dívidas no mercado? Possui processos na justiça que possam prejudicar a marca? Quem são os sócios da franqueadora.
  15. Quais são os diferenciais da marca? O que faz com que ela seja melhor que os concorrentes diretos (do mesmo segmento) e quais são suas vantagens com relação a outras franqueadoras? É muito importante estudar o mercado e ver como os clientes enxergam a marca. O Google é um ótimo aliado e você pode ver as avaliações dos usuários no próprio Google e em sites como o Reclame Aqui. Uma dica muito valiosa é você se tornar cliente da marca ou visitar uma unidade como cliente. Isso fará com que você perceba se a rede franqueadora realmente entrega para os clientes a experiência/ produto que promete.

Eu espero que estas perguntas te ajudem a escolher a franquia ideal, mas lembre-se sempre de buscar uma marca que você tenha afinidade, afinal de contas você vai carregá-la durante muitos anos!

Quer saber mais sobre como podemos ajudar a sua empresa com serviços de escritório sobre demanda? QUERO CONHECER OS SERVIÇOS!

Quer ser dono de um coworking com todas essas estratégias de satisfação e retenção de clientes? QUERO SER UM FRANQUEADO!