Posts

2 minutos de leitura

Empreender é uma alternativa que tem sido cada vez mais valorizada por pessoas não somente no Brasil, mas no mundo inteiro, o que justifica a busca por informações sobre como abrir o próprio negócio.

A possibilidade de tomar conta de um projeto pessoal, dando vida a ideias, podendo definir horários e lucrar, certamente é mais interessante do que atender aos interesses de alguém. Entretanto, nem sempre é possível começar algo novo antes de abandonar seu atual emprego. Se é o seu caso, então confira algumas dicas que selecionamos e que podem ajudar você a começar a empreender sem abandonar seu trabalho!

Planeje o momento certo

É bom você construir uma reserva de emergência para que, na hora certa, ela sirva para garantir a sua segurança na sua nova atividade. A dica é pensar em um valor que corresponda a pelo menos 12 vezes, ou seja, 1 ano do seu salário atual.

Para tanto, recorra a investimentos com boa rentabilidade. Você pode aplicar seu dinheiro no Tesouro Direto, nas Letras de Crédito Imobiliário ou em ações, dependendo da sua necessidade de valorização desse capital. O interessante é que você não tenha pressa e consiga começar o próprio negócio com tranquilidade para acertar e errar, mas sem que isso represente uma ameaça maior.

Trace metas e objetivos para o negócio

A ideia é que você esteja precavido diante de uma possível instabilidade ao começar uma nova atividade. Para tanto, organização é fundamental. Comece fazendo um plano de negócios, no qual existam estratégias para curto, médio e longo prazo.

É importante lembrar que, em geral, essa fase é a mais difícil, pois você ainda estará ganhando experiência, algo que só virá com o tempo. Portanto, elabore um plano flexível para que, diante de resultados ainda insuficientes, você não fique frustrado a ponto de desistir e busque adaptações e soluções para amenizar problemas. Consequentemente, você obterá experiência e tornará as coisas mais fáceis para crescer.

Tenha um diferencial

Sua estratégia de mercado necessariamente dependerá da viabilidade daquilo que você oferece para o seu público. Sendo assim, é preciso compreender suas necessidades e desejos para, em função disso, apresentar uma boa oferta. Trabalhe então com pesquisas, estude o comportamento do consumidor e se cerque de informações que possam ajudar a oferecer algo realmente relevante para quem pode se tornar um cliente da sua empresa.

Isso é fundamental para que a sua solução seja única diante da concorrência. Em relação aos concorrentes, também não deixe de estudá-los: o que vendem, por quanto vendem, quais são os diferenciais de cada um. Essas são apenas algumas perguntas que precisam ser feitas para que você não seja somente mais um no mercado.

Enfim, começar do zero sempre exige esforço. Para tanto, é importante tomar as atitudes certas para errar menos. As dicas aqui apresentadas têm o objetivo de ajudar você a trilhar o caminho certo, por isso, não deixe de colocá-las em prática.

Agora que você já sabe como abrir o próprio negócio, descubra porque abrir uma empresa utilizando o coworking pode ser interessante para você!.

2 minutos de leitura

sonho de empreender é compartilhado por milhões de brasileiros, mas muitos não dão vida a ele por não saberem exatamente como tirar uma ideia do papel. Podemos dizer que sim, há uma grande diferença entre a teoria e a prática. Contudo, tudo isso pode ser resolvido quando se tem o passo a passo correto sobre o que precisa ser feito.

Para auxiliar você nessa missão, listamos 6 dicas infalíveis para quem deseja empreender e não sabe por onde começar. Acompanhe!

1. Conheça bem a sua ideia

Esse primeiro ponto pode até parecer um pouco óbvio, mas infelizmente muitas pessoas não amadurecem a sua ideia e/ou até mesmo não têm conhecimento suficiente sobre ela.

Compreender o que se quer fazer é fundamental para encontrar os melhores meios de como fazer. Ou seja, são pontos interligados, e essa sequência deve ser respeitada.

2. Faça uma pesquisa sobre ideias parecidas

Seguindo a ideia do tópico anterior, para conhecer bem a sua ideia é fundamental fazer boa pesquisa, especialmente sobre ideias parecidas. Dessa maneira, se tem mais embasamento sobre como as pessoas estão colocando as suas ideias em prática. Essa é uma ótima maneira de se motivar!

Lembrando que, ao ver cases de sucesso, a motivação aumenta e essa influência positiva é muito favorável para o processo como um todo.

3. Tenha um planejamento financeiro

Esse é um importante passo para entender como tirar uma ideia do papel. Porém, se for negligenciada, pode até colocar em risco a realização do seu projeto. Após o citado processo de pesquisa, não deixe de construir um planejamento financeiro.

Saber os valores necessários para abrir a empresa ajuda até a se organizar pessoalmente, a fim de cumprir esse objetivo. Afinal, todo negócio parte da criação dessa mentalidade empreendedora.

4.  Realize testes antes de começar

Fazer testes é essencial para quem deseja passar por uma espécie de simulação do mercado. Se você trabalha com produtos alimentícios, pode fazer uma degustação. Se trabalha com serviços, pode atender gratuitamente, ou por um preço simbólico, alguns clientes para obter o feedback deles.

O importante é botar a mão na massa e tirar a ideia do papel, medindo a reação das pessoas e o seu próprio comportamento como empreendedor.

5. Execute as suas ideias aos poucos

Um dos grandes erros de empreendedores iniciantes é querer fazer tudo rápido demais, por imaginar que isso vai acelerar os resultados, sendo que muitas vezes pode gerar o efeito contrário.

Por esse motivo, é importante seguir o cronograma e executar um passo de cada vez, focando na qualidade e observando a sua evolução.

6. Faça os devidos ajustes

Os processos de testes e observação ajudam a fazer os devidos ajustes e, assim, melhorar o que está sendo realizado. Nesse sentido, uma ótima dica é estabelecer parcerias com pessoas mais experientes ou de áreas complementares, para receber uma visão mais clínica sobre o seu negócio e já ir criando um networking.

Os espaços de coworking são bem interessantes para isso, por reunirem diversos profissionais no mesmo lugar e favorecerem essa troca de experiências. Para quem deseja empreender e sentir um pouco do fervor do mercado já de imediato, esses locais também trazem isso à tona.

Seguindo esse passo de como tirar uma ideia do papel,  é possível que você comece a empreender o quanto antes e possa dar vida aos projetos que tanto almeja.

Gostou desse post? Que tal nos seguir nas redes sociais e conferir as coisas bacanas que sempre postamos por lá? Aguardamos você! Facebook – Twitter – Google+ – Linkedin – Instagram

2 minutos de leitura

A pergunta do título talvez seja a mais comum entre brasileiros que têm o desejo de abrir o próprio negócio. Mesmo pessoas que possuem boas ideias e acreditam na viabilidade do projeto, ficam inseguras em relação ao momento certo de começar a empreender.

Isso faz sentido. Mais do que vontade, é preciso ter critérios para garantir que o começo de uma nova atividade aconteça com segurança. Quer saber quais são eles? Então continue a leitura e confira!

Avalie se você tem o perfil para a sua atividade

Uma das formas de saber se você está pronto para empreender é ter a certeza de que aquela atividade é a ideal para o seu perfil.

O domínio a respeito daquilo que pretende fazer é essencial para o sucesso do seu empreendimento. É preciso então ter prazer em estudar aquele assunto e tudo o que ele envolve , em especial, as oportunidades que apresenta.

É nesse ponto que entra a paixão. Se você tem uma relação emocional positiva com aquilo que faz, certamente terá maiores condições para lidar com as eventualidades do dia a dia, além de se interessar mais pelo tema a ponto de propor soluções e chegar mais longe.

Verifique se você realmente se sente bem ao tratar do tema. Pergunte às pessoas se elas percebem o seu entusiasmo em relação à atividade que pretende exercer.

Garanta o devido conhecimento de mercado

Antes de entender como funcionam mercado, público-alvo e produto ou serviço, você não está preparado para empreender.

Na prática, é em função do mercado que você deve atuar. Observe suas movimentações e peculiaridades. Além disso, esteja sempre de olho no comportamento do consumidor. É o seu público-alvo quem precisa ser devidamente contemplado para que o negócio seja bem-sucedido.

O ideal é saber de que maneira o seu projeto pode ser viável para as pessoas e se há espaço para o que você vende no local em que pretende atuar. Nesse sentido, pesquisas são de grande utilidade. Conte com elas e tenha argumentos para investir.

Tenha um plano para cada fase do negócio

Empreender é algo que, inevitavelmente, exige um conjunto de técnicas por parte de quem atua no projeto. Essas técnicas podem ser adquiridas com o sacrifício do dia a dia, mas também podem ser assimiladas em um momento anterior, quando você sabe quais são as habilidades necessárias para exercer seu trabalho.

Assim, quando você se planeja em função daquilo que será necessário para empreender, habilidades e competências podem ser assimiladas numa fase inicial e você terá maior segurança na sua rotina de trabalho.

Nesse sentido, é preciso planejar, por exemplo, a quantidade necessária de capital de giro em cada fase do empreendimento. Assim você tem como saber se os recursos disponíveis são os suficientes para dar início à sua atividade empresarial e, dessa forma, evitar problemas como empréstimos a juros altos.

De uma maneira geral, é preciso se planejar para os elementos básicos do seu negócio. Isso diz respeito à gestão financeira e de pessoas, marketing e legislação. Tendo isso em mente, você já pode empreender com mais segurança.

Por fim, vale lembrar que não existe uma receita que deve ser seguida por quem pretende empreender. Entretanto, estas dicas costumam estar presentes em empreendimentos de sucesso, portanto, contar com elas pode ser o diferencial que você precisa para começar o seu negócio no momento certo.

Agora que sabe como começar a empreender, assine nossa newsletter e receba outras informações como essas em primeira mão, diretamente em seu e-mail.

2 minutos de leitura

Empreender tem sido uma importante solução para aqueles que querem maior independência financeira, bem como superar o momento de crise econômica. E com uma boa ideia e planejamento estratégico é possível conquistar o sucesso na área desejada.

Novos negócios precisam de um ambiente favorável para sobreviverem. Afinal, em um país no qual 60% das empresas fecham antes de 5 anos de existência, é importante fazer tudo que for possível para não permitir que uma boa sacada morra antes da hora.

Uma opção eficiente é abrir uma empresa que já utilize coworking. Veja porque isso é necessário:

Abrir uma empresa em um lugar com toda a infraestrutura necessária

O coworking oferece de imediato toda a infraestrutura necessária para a abertura de um negócio. Inclui-se nesse rol:

  • internet de alta velocidade;
  • móveis essenciais (mesas, cadeiras, escrivaninhas etc.);
  • impressoras e máquina de xerox;
  • sala de reuniões com projetor e televisão;
  • telefone;
  • local para refeições;
  • armário individual.

Isso permite começar as suas atividades mais rapidamente, fazendo com que você tenha o retorno do seu trabalho de forma mais ágil, direcionando suas energias para outros setores do planejamento de abertura da empresa.

Economizar com a aquisição de itens para o funcionamento

Com isso também há uma vantagem importante: a economia na compra de itens de infraestrutura, que normalmente são bastante dispendiosos.

Abrir uma empresa já envolve uma série de gastos, tais como:

  • registro de CNPJ e escolha de regime tributário;
  • aquisição de equipamentos que pertencerão a empresa (como computadores, por exemplo);
  • contratação de funcionários;
  • produção de material de divulgação;
  • criação de identidade da marca;
  • investimento em marketing digital etc.

Economizar na compra de materiais como móveis e impressoras permite direcionar esforços para esses outros itens, bem como investir em outras áreas importantes.

Ter uma experiência diferenciada em um coworking

Abrir uma empresa em um coworking proporciona uma experiência diferenciada de um ambiente próprio. Afinal, são diversas pessoas de diferentes negócios, nas mais diversas áreas trabalhando no mesmo lugar.

A troca de conhecimentos, bem como o ambiente colaborativo de um espaço desses pode ser bastante agregador.

Por exemplo, visualizar um novo modelo de negócios implantado por algum parceiro que esteja no local poderá servir de exemplo, ajudando a se inspirar e permitir melhorias importantes para sua nova empresa. Algo bem desejável, não é mesmo?

Conseguir networking e parcerias com maior facilidade

Essa experiência diferenciada ajuda a melhorar seu networking mais facilmente. Isto porque é comum ter uma série de outros empreendedores com mentalidades diferentes que poderão ajudá-lo constantemente.

Eles podem se tornar, futuramente, investidores, parceiros e, também, indicando clientes para você. Por exemplo, se você trabalha com TI, um colaborador que exerça atividades na área de marketing poderá encaminhar um cliente dele para buscar soluções importantes para o negócio com você. Nisso todos saem ganhando.

Além disso pode-se estabelecer parcerias de atuação importantes nesses locais, bem como estabelecer amizades frutíferas que renderão coisas boas não só na área profissional, mas também no quesito pessoal.

O que acha dessa possibilidade? Bastante agregadora, não é mesmo? Abrir uma empresa em um coworking pode ser o diferencial para torná-la competitiva e bem-sucedida. Se interessou por isso? Entre em contato com a Coworking Town e tire todas as suas dúvidas com nosso atendimento.

2 minutos de leitura

Pode até não parecer, mas escolher o nome da empresa é tarefa muito difícil. Mesmo quando as ideias surgem, é preciso pensar também na longevidade delas, além de outros fatores como a compatibilidade com o negócio que está sendo montado e até mesmo se isso já não foi pensado anteriormente por um concorrente.

Sendo assim, nada melhor do que saber mais sobre o assunto, de maneira que você tenha como escolher da melhor forma possível o nome para o seu empreendimento.

Por isso, confira as dicas que preparamos no post de hoje!

Escolha algo de fácil assimilação

Coca-Cola. Tente esquecer esse nome. Difícil, não é? O fato é que, mesmo com toda a exposição da marca, é um nome simples, de fácil memorização e que permite tanto a clientes quanto fornecedores e colaboradores não precisarem de muito para decorar. Este é o segredo. É muito mais fácil lembrar da Coca-Cola do que da My Dadz Nutz, por exemplo.

Grandes empresas trabalham com essa lógica. Google, Submarino e Apple, são simples, mas nem por isso deixam de ter impacto na cabeça das pessoas. Na dúvida, opte sempre por nomes simples.

Tente ser compatível com o seu mercado

O ideal é que você crie um nome que tenha a ver com o seu segmento de mercado. É preciso dar aos clientes uma pista sobre o que sua empresa se propõe a fazer, principalmente no começo das atividades.

Quando o nome escolhido for muito genérico, você pode colocar essa informação como complemento da marca. É o caso de empresas como barbearias e bares. Um cliente que passa pelo Bar do Arnaldo, por exemplo, sabe mais facilmente do que se trata do que se o estabelecimento se chamasse simplesmente Arnaldo.

Deixe claro o seu posicionamento

O Burger King jamais poderia ser uma empresa de atuação local, mais restrita a um determinado público. Com esse nome (king em inglês significa rei), a empresa deixa claro que pretende se colocar no mercado como a número um naquilo que faz. Parece excessivamente autoconfiante? Talvez, mas tem tudo a ver com o posicionamento de marca.

Este é um exemplo de que, com foco no posicionamento, é possível encontrar um nome interessante para seus objetivos. Concentre-se em determinar o espaço de mercado que sua empresa pretende ocupar para, em consequência disso, definir um nome que seja compatível com essa busca.

Saiba se o domínio está disponível

Você pode ter uma brilhante ideia, mas só depois perceber que ela já tem dono. Isso acontece. Por esse motivo, é essencial conferir no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Intelectual) se a sua marca já está patenteada. Aliás, é a ele que você deverá recorrer para patentear a sua marca, caso ela esteja disponível.

Confira se existe a possibilidade de registrar a sua marca e o faça, lembrando antes de consultar se existe um domínio para o nome escolhido na internet. É fundamental verificar se seu nome tem espaço na rede para que isso não comprometa a marca ou o conteúdo a ser criado.

Entendeu melhor como escolher o nome da empresa? Então não deixe de compartilhar as dicas nas redes sociais.

5 minutos de leitura

Tenho recebido muitos elogios pelo espaço de coworking do qual sou fundador e Co-CEO aqui no Rio de Janeiro, o Coworking Town. O espaço ficou realmente muito legal, estamos alcançando ótimos resultados e realizamos nossa 1ª expansão em apenas 3 meses. O que muitos não sabem é que esses resultados não foram alcançados com ajuda externa ou grandes investimentos e sim a partir de uma dedicação total, quase insana, minha e da minha sócia Giselle apenas, e por isso decidi contar um pouco dessa história de como superamos os desafios de empreender e tirar nosso negócio do papel.

Formação e Experiência

Antes de tudo é importante dizer a nossa formação, eu sou engenheiro civil e ela engenheira mecânica. Sempre trabalhamos nas nossas áreas mesmo, embora eu já tenha tido outros negócios e estudar assuntos relacionados ao empreendedorismo a uns 10 anos pelo menos. Iniciamos nosso negócio sem grandes conhecimentos em marketing, contabilidade, design e sem dinheiro.

Pesquisa

Antes de abrir o negócio, fomos atras de validar nossas premissas. Já tínhamos uma boa ideia sobre o crescimento do coworking no Brasil, que cresceu 50% de 2015 para 2016, os benefícios da economia compartilhada e tudo isso aliado a crise econômica parecia realmente uma boa aposta. Visitamos diversos coworkings no Rio de Janeiro e comprovamos que a maioria estava com boa ocupação. Já conhecíamos muito bem a região onde começaríamos nossa operação, que não tinha nenhum espaço do tipo ainda, pesquisamos muito na internet, levantamos os custos, a viabilidade do negócio e fomos em frente.

Recursos

Eu ainda estava realizando alguns serviços na minha última empresa, mas já preparando para encerrar as atividades e a Giselle estava desempregada quando decidimos começar nosso negócio. Aliamos minha vontade de empreender com a necessidade dela. Nossa reserva financeira era bem pequena, iria acabar em poucos meses e para fazer o coworking precisaríamos de muito mais. Por outro lado, não tínhamos outra saída, era superar os desafios de empreender ou se afundar em dívidas. Me veio à mente aquela frase do Steve Jobs no discurso de Stanford:

“You are already naked, there is no reason not to follow your heart.”

Tomamos três atitudes principais para tirar nosso negócio do papel:

  1. Iríamos vender o que dava para vender e fazer caixa. Vendemos desde álbuns de figurinha e roupas até o nosso carro e levantamos um bom dinheiro, até mais do que imaginávamos;
  2. Precisaríamos gerar caixa logo no começo para pagar parte dos investimentos. Para isso usamos 7 cartões de crédito diferentes onde parcelamos sem juros todas as compras que conseguimos, da para imaginar a confusão? Além disso, colocamos metas agressivas que na verdade eram mais pautadas no que precisávamos atingir para não quebrar do que em planejamento e análise de mercado;
  3. Estudaríamos e faríamos por conta própria todos os serviços possíveis contratando somente o estritamente necessário.

Arquitetura e Design

Não somos arquitetos nem designers, somos curiosos com bom senso. Pesquisamos muito em sites, visitamos outros coworkings e identificamos aquilo que gostávamos e tinha o nosso estilo. Estudamos muito e a partir daí elaboramos o nosso layout e nossa decoração. Nossa logo e materiais de divulgação também foram elaborados nessa mesma base e usando ferramentas gratuitas da internet.

Obra

A obra era a parte aparentemente mais fácil, pois como sou engenheiro civil tenho boa experiência com obras de escritório e bons contatos de mão de obra e fornecedores. O imóvel onde funcionaria o coworking não tinha piso, instalação elétrica, ar condicionado, pintura, em resumo: Não tinha nada! Tivemos executar a obra do zero e providenciar todos os projetos e documentação necessária para aprovar a obra. Ah! A obra ainda teve que ser executada somente a noite ou nos finais de semana em função das regras do condomínio. Bacana, não é?

Enquanto a obra do coworking acontecia, surgiu um serviço para minha empresa antiga que era de curta duração e irrecusável financeiramente. Por várias vezes tive que trabalhar literalmente 24 horas no dia. Enquanto eu tocava a obra a Giselle cuidava de todas as compras e recebimentos dos insumos, mobiliário e equipamentos. Alguns serviços da obra inclusive fomos nós que executamos, como parte das instalações elétricas e a pintura. Apertamos por exemplo quase 500 parafusos para montar as cadeiras do coworking e mais algumas coisas nesse sentido também. Foi uma loucura por alguns meses.

Faça você mesmo

A engenharia te ensina entre outras coisas a ter um raciocínio muito lógico e crítico. Recebemos vários orçamentos com preços completamente fora da realidade e sempre que nos deparávamos com esse entrave íamos atrás de informações para aprender como fazer. Projetamos e montamos todos os móveis (sim, fizemos 100% das mesas e armários!), fizemos a rede de internet do coworking, luminárias, adesivos nos vidros e etc. Tudo o que você vê nas fotos foi projetado e construído somente por nós dois do zero, sem nenhuma solução comprada pronta.

Website

Conhecia por alto ferramentas como o WordPress e Wix, mas nunca tinha usado efetivamente. Sem recursos financeiros para contratar alguém para fazer e também por querer ter maior agilidade para mudanças no futuro eu fui buscando informações e aprendendo na prática a usar as ferramentas até conseguir fazer o que queria. Entramos nos sites das empresas que admiramos dos mais variados seguimentos e fomos “copiando” o que mais gostávamos e o que achamos que funcionaria melhor. Essa é uma dica legal que até as grandes empresas usam. Você não precisa inventar tudo, você pode copiar o que deu certo dando outros significados e seu toque pessoal que funciona muito bem. Não é, Apple?

O detalhe é que o site foi feito enquanto estávamos na loucura da obra. Favorecer um lado em detrimento do outro não adiantaria, as duas coisas tinham que andar em paralelo para atingirmos nossa meta. Apesar de não ser um mega website, ele ficou bonito, muito funcional e tem contribuído positivamente para os nossos resultados.

Marketing

Nos nossos primeiros 15 dias de operação não tivemos qualquer contato de clientes, obviamente alguma coisa estava errada. Fomos atrás mais uma vez, pesquisamos, conversamos com algumas pessoas e conseguimos pouco a pouco ir melhorando nosso marketing digital que tem pautado nosso crescimento nesses meses. Com um investimento baixo conseguimos boas estatísticas de acessos e conversões que tem se refletivo no nosso resultado.

Números

Alcançamos 67% de ocupação e mais de 40 empresas atendidas. Nosso faturamento de março já é 350% maior que o de dezembro e 20% maior que o de fevereiro e ainda temos mais uma semana pela frente nesse mês. Fugindo um pouco até do usual no coworking temos diversos contratos de longa duração também, muitos deles de clientes de planos curtos que gostaram do serviço e renovaram por períodos longos. Nenhum indicador melhor que esse de uma boa prestação de serviço!

Parcerias

Somos early adopters, fãs de tecnologia e queríamos compartilhar algumas dessas maravilhas com os nossos clientes. Sem contato ou qualquer conhecimento usamos o Linkedin para conseguir parcerias com empresas como a ContabilizeiContaAzulPipedrive e Pluga, fora os diversos outros contatos que tem nos ajudado em diversas situações. No último dia 23/03, por exemplo, minha sócia Giselle foi convidada para uma palestra para 150 pessoas da Rede Mulher Empreendedora. É meio óbvio dizer isso, mas empreendedores gostam de ajudar empreendedores ;)

Expansão

Inauguramos no último dia 20/03 nossa expansão, passando de 24 para 43 estações de trabalho, ampliando a capacidade da nossa sala de reunião e ganhando uma copa fechada para refeições. Repetimos exatamente a mesma receita da obra inicial, só que dessa vez com as lições aprendidas fizemos tudo em menos tempo e mais barato. Ainda aproveitamos os dias de carnaval para acelerar ainda mais o processo, ufa! Agora temos como atender mais clientes e com mais qualidade e temos condições de seguir crescendo no mesmo ritmo nos próximos meses.

Superar todos os dias os desafios de empreender

Nosso objetivo com esse artigo foi mostrar que nem tudo é tão complicado quanto parece. A internet nos trouxe acesso fácil à qualquer informação, você pode literalmente virar especialista em qualquer assunto a partir de blogs, ebooks e artigos. Existem também muitas ferramentas impressionantes disponíveis gratuitamente ou a preços irrisórios e você encontra ainda opções para levantar dinheiro para o seu negócio.

Encerro esse artigo com uma frase do Henry Ford que resume muito bem essa experiência:

” Os obstáculos são aquelas coisas terríveis que você vê quando desvia os olhos do seu objetivo.”

Nossos planos são grandes, sabemos onde queremos chegar e exatamente o preço que temos que pagar para chegar lá. E vocês, o que fizeram ou pretendem fazer superar os desafios de empreender?

 

Gostou do nosso conteúdo? Já passou por esses desafios? Compartilhe a sua história e ajude a inspirar outros empreendedores ;)

 

3 minutos de leitura

Muita gente sonha em montar o próprio negócio e conquistar a independência financeira e profissional. Porém, você há de concordar que empreender não é fácil, pois envolve muitos desafios, como enfrentar a alta concorrência do mercado, a busca de um local apropriado para montar a empresa e os altos custos de manutenção do negócio. Ainda assim, pode ser muito gratificante e proporcionar autonomia e independência financeira por toda a vida.

Para alcançar os objetivos e obter o sucesso esperado, é preciso muita disciplina e atenção a alguns requisitos fundamentais para quem está começando a empreender. Por exemplo, você tem um bom diferencial em relação aos concorrentes? Fez um bom planejamento financeiro? Administra bem o seu tempo? Tem um local apropriado para sua empresa?

Conheça, a seguir, cinco dicas para fazer seu negócio crescer, conseguir novos clientes, reduzir seus custos e se destacar diante dos concorrentes.

Seja diferente dos concorrentes

Quem monta a própria empresa, deve estar sempre preparado para enfrentar a concorrência. Em ambientes de alta competitividade, características como inovação, tecnologia e diferencial da concorrência são muito importantes. Infelizmente, a maioria dos novos negócios no Brasil não é pautada pela inovação.

Observa-se que, no Brasil, apenas 6,3% dos empreendedores iniciais utiliza tecnologia nova, enquanto na China esse índice é de 33,1%, segundo pesquisa do Global Entrepreneurship Monitor (GEM). Procure um diferencial para seu empreendimento, contratando funcionários bem qualificados e investindo na formação e capacitação.

Faça um plano de negócios

Conhecer bem o mercado em que você deseja ingressar é o primeiro passo para assegurar um planejamento sólido e minimizar riscos. É preciso se basear em premissas lógicas: o produto ou serviço é competitivo? Agrega valor ao consumidor? Há boas perspectivas de crescimento? O negócio tem um foco claro? Procure entender as necessidades, hábitos e comportamentos dos clientes, estude os concorrentes e pesquise várias opções de fornecedores.

Invista no planejamento financeiro

Planejamento e visão clara de futuro aumentam a capacidade de o negócio ser bem-sucedido e minimizam riscos. Faça um levantamento completo do que é necessário para começar o seu negócio. Considere itens como espaço físico, mão de obra e matéria prima. E não se esqueça dos gastos de manutenção, como aluguel, água e energia elétrica. Verifique se o retorno sore o investimento é substancial e quanto tempo poderá se manter até começar a lucrar. Caso o capital inicial não seja suficiente, é possível conseguir um financiamento.

Saiba como administrar seu tempo

A aprendizagem de como e quando investir tempo e energia resulta em economia de tempo e dinheiro. Procure direcionar sua mente para tarefas específicas, sem distrações, e mantenha-se focado e produtivo. Uma dica é criar uma lista de tarefas, tanto para serem cumpridas no próprio dia quanto também a longo prazo. Destaque as prioridades e lembre-se de incluir os períodos reservados para as reuniões. Também é importante saber gerenciar as distrações, evitando excessos no uso de e-mails, celular e redes sociais, por exemplo.

Tenha um local apropriado para seu negócio

Ao alugar um imóvel para sediar sua empresa, atente para características como localização, facilidade de acesso, espaço útil, ofertas de serviços públicos na região, estacionamento, capacidade de armazenamento, entre outros fatores.

Uma solução pode ser optar por espaços de coworking, que possibilitam ter um grande espaço de trabalho sem a necessidade de se preocupar em gerenciá-lo. Além disso, compartilhar um espaço de coworking possibilita reduzir custos com estrutura, pessoal e serviços.

Como pode perceber, começar a empreender envolve desafios, mas pode ser bastante recompensador. Seguindo essas recomendações, você terá muito mais chances de alcançar os seus objetivos.

Você está pensando em montar o seu próprio negócio? Quer saber mais sobre inovação e empreendedorismo? Nos siga no Facebook, Twitter e Instagram e fique por dentro das novidades!