As franquias atraem empreendedores que buscam segurança e suporte ao investir em modelos de negócios já testados e validados. Para chegar até esse modelo replicável de sucesso, as redes franqueadoras investiram muito tempo estudando a operação, analisando o mercado, buscando soluções, selecionando fornecedores e isso fez com que elas tenham um conhecimento muito grande do negócio. E é exatamente por deter esse know-how (conhecimento) que elas cobram algumas taxas de franquia dos seus franqueados, para que estes tenham acesso às informações e estratégias e consequentemente tenham mais chances de ter sucesso nas suas unidades.

Para entender melhor quais são as taxas cobradas por uma franquia, é importante saber o motivo dessa cobrança e onde esses recursos são aplicados. É importante saber também que algumas franquias cobram alguns tipos de taxas, enquanto outras não.

Vale ressaltar que o detalhamento de todos estes valores deverá constar na Circular de Oferta de Franquia (COF), que é um documento obrigatório que a rede franqueadora deve enviar ao franqueado antes da assinatura do contrato. Segundo a Lei de Franquias (Lei nº 8.955/94) , a COF deve fornecer “informações claras quanto a taxas periódicas e outros valores a serem pagos pelo franqueado ao franqueador ou a terceiros por este indicados, detalhando as respectivas bases de cálculo e o que as mesmas remuneram ou o fim a que se destinam”.

Conheça um pouco sobre as taxas cobradas pelas franquias e entenda, de fato, para que elas servem:

Principais taxas de franquia

Taxa de franquia

A Taxa de Franquia é um valor cobrado por praticamente todas as redes franqueadoras aos seus franqueados. Ela é paga pelo franqueado logo após a assinatura do contrato. Trata-se de um valor fixo que faz parte do investimento inicial para abertura da unidade. Seu valor varia de acordo com o tipo de franquia e estratégia da rede franqueadora.

A principal função da Taxa de Franquia é remunerar a rede franqueada pelo desenvolvimento do negócio, por todo investimento que foi feito ao longos dos anos para chegar até o modelo atual e pela  transferência de conhecimento ao franqueado através de treinamentos, suporte, implantação da nova unidade e acompanhamento da operação.

Ela geralmente é cobrada uma única vez na validação do contrato, mas há casos em que é prevista uma nova cobrança da taxa a cada renovação (que costuma ter duração de 5 anos).

Há ainda franqueadores que não cobram taxa de franquia dos seus franqueados. Isso faz parte de uma estratégia de expansão adotada por algumas redes franqueadoras que acabam inserindo esse custo em outros itens e taxas de franquia. Por isso a importância de uma leitura minuciosa da COF.

Itens cobertos pela taxa de franquia:

  • Programa inicial e treinamentos
  • Manuais de operação do negócio
  • Apoio e suporte da franquia durante todo o contrato
  • Direito de uso da marca
  • Estudo de mercado
  • Assistência na escolha do ponto comercial

Taxas de Royalties

Uma das mais conhecidas taxas de franquia cobrada são os royalties.

Eles correspondem à cobrança pelo uso da marca e geralmente correspondem a um percentual do faturamento mensal bruto da unidade.

As franqueadoras utilizam esse valor arrecadado com seus franqueados para manter a equipe de suporte e desenvolvimento da marca, para ações estratégicas de crescimento, para financiar pesquisas, fazer aquisições, dentre outras coisas.

No geral, essa taxa varia entre 5% e 10% do faturamento bruto mensal de cada franqueado.

Em alguns casos o franqueador é o fornecedor exclusivo dos produtos que o franqueado vai comercializar (como por exemplo no setor de alimentos ou vestuário) e a taxa de royalties é calculada sobre o valor dos produtos que foram comprados pelo franqueado naquele mês, podendo chegar de 20% a 40% sobre o valor total das suas compras.

Itens inclusos na taxa de royalties:

  • Manutenção da equipe de suporte
  • Manutenção da tecnologia oferecida pela franqueadora
  • Uso da marca
  • Fornecimento de produtos
  • Pesquisas
  • Desenvolvimento de novos produtos
  • Ações e eventos voltados aos franqueados

Taxa de marketing

Também conhecida como taxa de propaganda, a taxa de marketing é a contribuição do franqueado para o marketing institucional e outras ações que favoreçam e ajudem a divulgar toda a rede. A divulgação não é voltada para nenhuma unidade específica da franquia, mas para a marca de forma geral.

Ela pode ser uma porcentagem de faturamento ou valor fixo, isso varia de acordo com cada rede franqueadora. Aqui no Brasil geralmente esse valor varia entre 2% e 5% do faturamento bruto das unidades.

Vale ressaltar que o fundo para fomento de propaganda e marketing formado com a cobrança da taxa de marketing não representa receita para a franqueadora pois é toda investida em publicidade para a rede. Por isso os franqueados devem ter acesso às informações relativas aos eventuais gastos pagos com valores do fundo.

Itens inclusos na taxa de marketing ou propaganda:

  • Estratégias publicitárias e marketing
  • Ações institucionais de promoção da marca
  • Divulgação de produtos
  • Campanhas sazonais

Taxa de renovação

Como o próprio nome diz, a taxa de renovação diz respeito ao prolongamento do acordo entre franqueador e franqueado, que costuma durar cinco anos.

É comum que ao fim de cada ciclo do contrato seja cobrada uma nova taxa de franquia e este valor precisa estar discriminado em contrato.

Em alguns casos a rede franqueadora negocia estes valores com os franqueados e nesta negociação são levados em consideração diversos fatores como por exemplo o histórico do franqueado nos últimos anos de contrato.

Itens inclusos na taxa de renovação:

  • Renovação do contrato de franquia

Recomendações finais sobre as taxas de franquia

Agora que você já sabe quais são as taxas cobradas pelas franquias, lembre-se de que, como franqueado, é seu direito, garantido pela lei de franquias, ter acesso livre aos fundos derivados dessas cobranças, inclusive-se às informações de como os valores estão sendo utilizados e por quais motivos.

Todas elas devem constar na Circular de Oferta de Franquia (COF) e no contrato final de franquia.

Por isso, faça uma análise minuciosa do documento e tire todas as dúvidas com a rede franqueadora antes de assinar o contrato!

Quer saber mais sobre como podemos ajudar a sua empresa com serviços de escritório sobre demanda? QUERO CONHECER OS SERVIÇOS!

Quer ser dono de um coworking com todas essas estratégias de satisfação e retenção de clientes? QUERO SER UM FRANQUEADO!

O processo de escolha de uma franquia é algo muito particular e não necessariamente a melhor franquia para você será também a melhor opção para outra pessoa. Isso porque, ao contrário do que muitos pensam, abrir uma franquia requer muita dedicação e empenho por parte do franqueado e suporte da rede franqueadora. Achar que você vai abrir uma franquia e vai ter sucesso fácil é um dos maiores mitos sobre franquias que há e o mais perigoso também!

A escolha da franquia ideal deverá estar alinhada com seu perfil como empreendedor e com seus planos, portanto escolher corretamente as perguntas que você deve fazer para a rede franqueadora é muito importante para sanar todas as dúvidas e evitar surpresas desagradáveis no futuro, principalmente sobre as necessidades do negócio que dependerão diretamente da gestão do franqueado.

Faça uma análise do seu perfil

Antes mesmo de começar a pesquisa sobre a franquia, recomendamos fortemente que você trace um perfil próprio para entender se de fato você está preparado para este novo negócio e principalmente alinhar suas expectativas com a rede franqueadora.

Eu como franqueado tenho disponibilidade e interesse em me dedicar a franquia? Quanto tempo eu estou disposto a dedicar por dia a essa operação? Eu tenho afinidade com a rotina de trabalho que essa franquia vai me exigir? Eu tenho interesse genuíno no mercado do qual a minha franquia vai fazer parte?

Escolher uma franquia baseado somente nos números de investimento e faturamento é o pior erro que você pode cometer!

Perguntas para a rede franqueadora

Se você já tem interesse em uma franquia, mas ainda não sabe quais as perguntas chave que deve fazer para a rede franqueadora, preparamos uma lista com 15 perguntas que você deve fazer para a rede franqueadora antes de finalizar o processo de abertura da franquia.

  1. Quais são as taxas e percentuais que eu pagarei como franqueado? O objetivo é obter informações sobre a taxa de franquia, os percentuais de royalties cobrados, se há taxa de publicidade e se há algum outro valor a ser pago. Além disso é importante saber sobre quais valores são aplicados esses percentuais.
  2. O que é esperado do franqueado e o que o franqueador vai oferecer como contrapartida? Quais são as habilidades que o franqueado tem que ter (ou desenvolver) para operar plenamente a franquia? Quais são as atividades que deverão ser realizadas pelo franqueado? Quais são os tipos de treinamento que a rede franqueadora oferece? Oferece suporte para os sistemas de gestão? Que tipo de acompanhamento periódico é feito? Ter muito claro o papel de cada uma das partes é ponto chave para uma relação madura e transparente.
  3. Como será a divisão de território para atuação da franquia? Com essa pergunta você terá informações sobre onde o franqueado poderá atuar e onde ele não poderá, quais são os critérios para definição deste território, como é feita a distribuição dos clientes (se a franqueadora é quem fornece os leads para o franqueado), quais são as regras de exclusividade de território e de preferência. Se a rede franqueada possui e-commerce ou delivery é importante se informar como isso impacta no faturamento do franqueado.
  4. Como funcionará o abastecimento da unidade? No caso de franquias de alimentos ou de vestuário, por exemplo, como será feita a realização dos pedidos e prazo de entrega? Existe quantidade mínima para os pedidos, o mix de produtos é personalizável ou é definido pela franqueadora? Se o franqueador não for o principal fornecedor, como é o processo de compras com os fornecedores homologados? Há uma central de compras ou o franqueado negocia diretamente com o fornecedor?
  5. Há fornecedores homologados ou o franqueado terá que desenvolver sua própria rede de fornecedores? Até onde vai a autonomia do franqueado para montar essa lista de fornecedores?
  6. Quais são os suportes que a franqueadora vai oferecer? Treinamentos, manuais, visitas de consultores, enfim, qual a estrutura que a franqueadora tem para atender as demandas da rede?
  7. Qual é o plano de expansão da franqueadora, quanto tempo ela tem de mercado e quanto ela já conquistou de espaço no setor? É importante aqui você avaliar o mercado como um todo! Muitas vezes as maiores franquias, apesar de terem uma marca consolidada podem não ser uma boa opção para o seu perfil empreendedor, principalmente se você não tem experiência. Grandes marcas geralmente possuem concorrentes igualmente grandes e as franquias metas agressivas de performance. Por outro lado, franquias mais novas em um mercado em crescimento podem ser uma ótima opção para você se estabelecer em um mercado ainda pouco explorado, mas com muito potencial. É o caso por exemplo de franquias de Coworking.
  8. Como os franqueados atuais estão em relação ao resultado do negócio? Como está a performance da unidade? O franqueado já teve retorno do investimento e em qual prazo isso ocorreu? Há franqueados com mais de uma unidade?
  9. Como será a integração do franqueado na rede? Ou seja, quanto tempo de treinamento, se este será presencial ou virtual, se será prático ou apenas teórico, se contempla também a equipe, e os custos envolvidos com esse treino serão de responsabilidade de quem?
  10. A rede possui unidades próprias? Escolher uma marca que não tenha unidades próprias pode ser um risco alto. Como essa franqueadora validou esse modelo de negócio sem unidades próprias? Como a rede franqueadora testará novos produtos, novas ferramentas, novos fornecedores? Como a rede franqueada vai perceber rapidamente problemas se não está na “linha de frente” de uma unidade?
  11. Qual é o histórico da franqueadora? Desde quando tem unidades em operação? Quando decidiu se tornar uma rede franqueadora e porque? Qual a experiência que ela tem no sistema de franquias e se foi assessorada por alguma empresa para fazer o projeto e se estruturar como franqueadora.
  12. A rede já teve unidades fechadas ou franqueados desligados da rede? Se sim, por quais motivos.
  13. Quais são os maiores desafios do negócio? Quais são os pontos que merecem atenção e talvez uma maior dedicação? É um desafio que você está disposto a enfrentar? É comum o franqueador focar no que ele tem de melhor para oferecer, mas é bom saber que não existe negócio perfeito e entender os pontos que o franqueado precisa ficar atento é extremamente importante.
  14. Como está a saúde da franqueadora? Ela possui dívidas no mercado? Possui processos na justiça que possam prejudicar a marca? Quem são os sócios da franqueadora.
  15. Quais são os diferenciais da marca? O que faz com que ela seja melhor que os concorrentes diretos (do mesmo segmento) e quais são suas vantagens com relação a outras franqueadoras? É muito importante estudar o mercado e ver como os clientes enxergam a marca. O Google é um ótimo aliado e você pode ver as avaliações dos usuários no próprio Google e em sites como o Reclame Aqui. Uma dica muito valiosa é você se tornar cliente da marca ou visitar uma unidade como cliente. Isso fará com que você perceba se a rede franqueadora realmente entrega para os clientes a experiência/ produto que promete.

Eu espero que estas perguntas te ajudem a escolher a franquia ideal, mas lembre-se sempre de buscar uma marca que você tenha afinidade, afinal de contas você vai carregá-la durante muitos anos!

Quer saber mais sobre como podemos ajudar a sua empresa com serviços de escritório sobre demanda? QUERO CONHECER OS SERVIÇOS!

Quer ser dono de um coworking com todas essas estratégias de satisfação e retenção de clientes? QUERO SER UM FRANQUEADO!

Encontrar a franquia ideal é o objetivo de todo mundo que busca investir nesse mercado. Não existe um manual de “como achar a franquia certa” e existem muitas variáveis que precisam ser analisadas até encontrar a opção ideal. Não é fácil, mas a boa notícia é que na maioria das vezes o mais importante é evitar escolher a franquia errada. Neste artigo eu separei dicas para te ajudar a não errar na escolha da franquia.

Franquia ideal para o seu perfil

Vamos combinar uma coisa? Eu não vou te iludir aqui. Franquia perfeita não existe! O que existe é a franquia ideal para o seu perfil e para chegar nesta opção você vai iniciar um caminho longo e trabalhoso de muita dedicação e estudo. Você vai pesquisar bastante, conversar com muitas franqueadoras, vai tomar muitos cuidados e nem isso vai ser uma garantia de sucesso da sua unidade franqueada! Pois é! Quem te prometer retorno garantido está mentindo!

O primeiro passo é olhar para você, para o seu perfil como empreendedor, para o seu bolso e para a sua expectativa. Comece respondendo as seguintes perguntas para si mesmo:

  • Quanto dinheiro eu tenho para investir?

Tenha em mente que você precisará fazer um investimento inicial em estrutura, equipamentos, estoque, adequações no imóvel. Não se esqueça de prever o capital de giro para sustentar a empresa enquanto ela ainda não se pagar. SIM!!!!! A franquia não começa dando lucro no primeiro mês e isso muita gente não te conta!

  • Onde eu quero abrir a franquia?

Minha prioridade é ter conforto e ficar perto de casa ou eu quero encontrar o melhor ponto possível na minha cidade mesmo que isso me custe algumas horas por dia de deslocamento?

  • Tem alguma marca específica que me desperta interesse?

Lembre-se que é indispensável você se identificar com a marca, mas nem sempre a sua marca preferida é uma boa opção de franquia!

  • Tem algum segmento que eu gostaria de atuar?

Você conhece o dia a dia de uma pizzaria? De uma escola de idiomas? De uma loja de roupas? Saiba que você vai passar os próximos anos da sua vida dedicado àquele negócio, então é importante encontrar um segmento que você tenha afinidade.

  • Quanto tempo eu quero me dedicar para a franquia?

Se sua resposta é POUCO TEMPO eu já te adianto que nenhuma franquia será ideal para você! Não existe mágica! Não existe sucesso em negócios sem dedicação e trabalho duro. A dedicação e participação ativa do franqueado faz toda diferença e sem dúvidas aumenta bastante as chances de sucesso.

  • A franquia será sua única fonte de renda?

Você consegue pagar suas contas pessoais com o lucro que aquela franquia vai te dar? Conheça muito bem os números, pesquise o mercado e veja se o faturamento informado pela franqueadora é realista. Ela já tem outras unidades em operação? Quanto faturaram nos últimos meses?

  • Você já tem um imóvel e pretende abrir uma franquia nele?

Pense no tipo de imóvel, tamanho, e localização antes de escolher a franquia!

Definindo os seus objetivos na escolha da franquia

Respondendo estas perguntas honestamente você já percorreu uma boa parte do caminho! É muito importante olhar para a sua situação como pessoa física antes da escolher da franquia. Outros questionamentos que são muito importantes são aqueles relacionados à sua expectativa e planos de médio- longo prazo. É importante ter em mente que os contratos de franquia costumam ter duração mínima de 5 anos.

As perguntas podem ter desdobramentos e podem depender de outros fatores externos para serem respondidas, mas minha sugestão é que você coloque tudo no papel. Feita essa reflexão sobre seu perfil e seu momento de vida, chegou a hora de colocar a mão na massa e pesquisar, pesquisar e pesquisar. Comece pelo básico:

Você sabe o que é e como funciona uma franquia?

Entenda como funciona, quais os tipos que existem, leia a Lei das Franquias, pesquise sobre quais são as taxas que geralmente são cobradas! Aqui no blog você vai encontrar bastante conteúdo sobre o assunto e é fundamental você estar bem informado para analisar os pontos chave e fazer as perguntas certas para a rede franqueadora.

Agora sim tá na hora de pesquisar as redes franqueadoras. Entre no site das empresas que você tem interesse (lembre-se das primeiras perguntas que você respondeu lá em cima), pesquise sobre os modelos de franquia que aquela rede oferece. Geralmente no site da empresa tem bastante informação. Faça seu dever de casa e estude esse conteúdo antes de entrar em contato com eles.

Analise as informações disponíveis

Analisar as informações corretas é muito importante! Observe além da marca, o potencial de ganho de mercado, os concorrentes diretos e indiretos, o modelo de negócio, a história da franqueadora, os valores de investimento necessário, faturamento e retorno.

Se você gostar do que viu avance na escolha da franquia, preencha o formulário no site da franqueadora e aguarde o contato deles.

Geralmente as redes fazem um processo seletivo de franqueados. Eles querem garantir que você tem o perfil ideal para ser um franqueado, afinal você será um representante da marca deles! Responda as perguntas com sinceridade e já tenha em mãos todas as dúvidas e observações anotadas. A hora de tirar dúvidas é agora!

Escolha da franquia

Nessa etapa a rede franqueadora deverá responder seus questionamentos e explicar detalhes sobre a operação, sobre os custos, avaliar se o seu bairro/ cidade de interesse é viável ou até mesmo se está disponível.

A essa altura você já deve ter percebido que escolher uma franquia é muito mais complicado do que somente analisar o valor de investimento e faturamento estimado, não é! O caminho é longo, trabalhoso, mas se você seguir as dicas que eu dei terá mais chances de escolher a franquia certa!

Quer saber mais sobre como podemos ajudar a sua empresa com serviços de escritório sobre demanda? QUERO CONHECER OS SERVIÇOS!

Quer ser dono de um coworking com todas essas estratégias de satisfação e retenção de clientes? QUERO SER UM FRANQUEADO!

Nos últimos meses nós recebemos aqui no Coworking Town um número enorme de e-mails e telefonemas de pessoas que querem montar um coworking em um imóvel próprio. Ter uma sala comercial que não está alugada é sinônimo de prejuízo e muitos proprietários estão buscando formas de rentabilizar estes espaços.

Eu separei aqui neste artigo algumas informações importantes para quem busca alternativas para uma sala comercial vazia.

Planejamento

Preciso começar te falando uma verdade: montar um coworking não é tão simples quanto parece e se você acha que a tarefa é fácil, eu sinto te desapontar! Muitas pessoas acham que basta ter mesas e cadeiras modernas, uma sala de reuniões, wifi, café e pronto. Mas se você quer ganhar dinheiro com coworking você precisa ir MUITO além disso!

De acordo com os resultados que temos aqui no Coworking Town, os proprietários de imóveis podem ter um faturamento até 8x maior do que um aluguel tradicional. Mas esse resultado requer muito esforço, dedicação e investimento!

Antes de abrir um coworking em um imóvel próprio você deverá ter em mente que precisará estudar bastante! Sim! Estudar o mercado, fazer um plano de negócio, estudar o local onde seu imóvel fica localizado, fazer um projeto de arquitetura pensando no aproveitamento do espaço, na estética e na funcionalidade do local quando a operação estiver rodando. Estas são algumas das coisas que você precisa definir antes de tirar a sua ideia do papel.

Investimento para montar um coworking em um imóvel próprio

Passada a parte de planejamento e levantamento das informações, você precisará fazer um investimento inicial. Mesmo que seu imóvel já esteja “pronto” e tenha mobília e ar condicionado, você vai precisar adaptar a estrutura para que o coworking te dê o retorno esperado. Será necessário investir em mobiliário adequado, infraestrutura de rede, criação de novos pontos de energia e até mesmo fazer alterações na estrutura e paredes. Ah! Você precisará de capital de giro para manter o negócio funcionando enquanto sua receita ainda não é suficiente para pagar as despesas.

Além deste investimento financeiro você precisará dedicar muito tempo a esse negócio para traçar e executar estratégias de aquisição de clientes, escolher e implementar sistemas de gestão e de atendimento, estruturar um processo de vendas, dentre outras coisas que ninguém te conta quando o assunto é montar um coworking.

Muita coisa, não é?

Franquia de Coworking

Uma alternativa bem interessante para você que é dono de um imóvel é abrir uma franquia de coworking! Na avaliação da Associação Brasileira de Franchising (ABF), de acordo com estudos do SEBRAE, a taxa de mortalidade de uma unidade franqueadora em 10 anos é de 15% enquanto para uma unidade independente é de 75%. Ou seja, a possibilidade de você ter sucesso sendo um franqueado é 5x maior do que se você resolver criar uma empresa de forma independente.

Se você não sabe muito bem como funciona uma franquia eu vou te ajudar. As franquias são modelos de negócios que já foram testados junto ao público. Ou seja, já foi feito todo o trabalho de pesquisa de mercado, de construção e validação do modelo de negócios, definição de público-alvo, busca de fornecedores, precificação dos serviços/ produtos, elaboração de processos e muitas outras coisas que a rede franqueadora já conseguiu definir ao longo de todo esse tempo em que está no mercado. Estas são informações valiosíssimas que você levaria anos para reunir. Uma falha em qualquer um destes pontos citados acima pode significar o fracasso de uma empresa! Ao decidir por esse modelo de negócio a rede franqueadora vai transferir para você todo o conhecimento que ela adquiriu ao longo de anos e você vai replicar o modelo de sucesso que ela desenvolveu e testou.

Se você quiser saber mais sobre como uma franquia do Coworking Town pode aumentar em até 8x seu potencial de faturamento com o imóvel, é só clicar no link abaixo e conferir as informações no nosso site.

Quer saber mais sobre como podemos ajudar a sua empresa com serviços de escritório sobre demanda? QUERO CONHECER OS SERVIÇOS!

Quer ser dono de um coworking com todas essas estratégias de satisfação e retenção de clientes? QUERO SER UM FRANQUEADO!

Muitas pessoas, ao procurarem por uma franquia se deparam com alguns mitos que são comuns, mas que podem trazer dores de cabeça no futuro. Muitos destes mitos sobre franquias são ideias pré concebidas e difundidas por aqueles que não conhecem a fundo o mercado, portanto pesquisar bem sobre o que é uma franquia- e como funciona esse modelo, além de ter conhecimento dos direitos e deveres do franqueador e franqueado é a melhor maneira de evitar problemas e frustrações.

Os 6 mitos sobre franquias

Mitos sobre franquias 1: Investir em uma franquia é retorno garantido

Se você algum dia ouvir algum franqueador falar de “retorno garantido” desconfie!

Uma franquia, como qualquer outro tipo de negócio, tem seus riscos. Obviamente a probabilidade de sucesso de uma franquia é muito maior do que uma empresa independente. A franquia é um modelo de negócios que já foi validado, que já está em operação e que conta com um valioso know how. O suporte de um bom franqueador e a troca de experiências dentro de uma rede de franqueados aumentam a chance de sucesso, porque diminuem erros no dia a dia da operação.

De acordo com o SEBRAE, a taxa de mortalidade de uma unidade franqueadora em 10 anos é de 15% enquanto para uma unidade independente é de 75%. Ou seja, a possibilidade de você ter sucesso sendo um franqueado é 5x maior do que se você resolver criar uma empresa de forma independente.

Mas atenção! Não existe sucesso em negócios sem dedicação e trabalho duro. A dedicação e participação ativa do franqueado faz toda diferença e sem dúvidas aumenta bastante as chances de sucesso. Este é o mito sobre franquias mais comum e talvez o mais perigoso também pois cria uma expectativa totalmente fora da realidade do mercado.

2: Uma franquia dá menos dor de cabeça do que um negócio independente

O investidor que acredita que vai abrir uma franquia e terá menos trabalho está iludido. É óbvio que ao abrir uma franquia, o empreendedor pula algumas etapas porque recebe da rede franqueadora todo o conhecimento adquirido por ela através de manuais e treinamentos, mas não pense que não haverá problemas e desafios!

Cada operação tem suas particularidades e você precisará lidar com todos os aspectos do negócio como funcionários, atendimento ao cliente, qualidade do serviço e do produto, satisfação dos clientes, acompanhamento e gerenciamento da empresa e isso tudo exige muito esforço e dedicação. Não é tarefa simples e com certeza ter um negócio próprio sem dor de cabeça é mais dos mitos sobre franquias.

3: O sucesso do negócio é responsabilidade do franqueador

Um sistema de franquias é uma relação de parceria entre franqueado e franqueador, onde ambos possuem obrigações e responsabilidades. A rede franqueadora é responsável por transferir o conhecimento para o franqueado que por sua vez é responsável pela operação do negócio. Cabe ao franqueado executar as instruções passadas pela rede franqueadora e é um grande equívoco pensar que se o resultado de uma unidade não vai bem isso é culpa da rede franqueadora. Esse é um dos mitos sobre franquias que precisa ser conhecido profundamente!

Existem vários fatores que influenciam no sucesso de uma franquia e é possível que um novo franqueado enfrente alguns desafios no primeiro ano de operação. Se os resultados não saírem exatamente como esperado ele deve contar com o apoio do franqueador para orientá-lo e corrigir alguma coisa que eventualmente esteja errada.

4: É melhor escolher uma franquia de uma marca bem conhecida para não correr risco

Esse é um mito sobre franquias muito comum entre aqueles que estão começando a pesquisar sobre franquias e estão pensando em investir nesse modelo. Embora uma marca grande seja um ponto importante na aquisição de clientes, ela sozinha não garante o sucesso da unidade. Muitas vezes as marcas conhecidas possuem fortes concorrentes igualmente conhecidos e em alguns casos um mercado já saturado!

O resultado disso é que o franqueado tem um desafio enorme pela frente com metas bem agressivas e precisa se dedicar muito para fazer com que a unidade seja um sucesso. Além disso, as maiores marcas costumam ter um processo seletivo de franqueados bem rigoroso e exigem um perfil mais sênior com experiência prévia de mercado.

Portanto você deve ter alguns cuidados ao escolher uma franquia como por exemplo observar além da marca, o potencial de ganho de mercado, os concorrentes diretos e indiretos, o modelo de negócio, a história da franqueadora, os valores de investimento necessário, faturamento e retorno. Mas principalmente busque uma franquia que você tenha afinidade com o tipo de negócio.

Uma dica de ouro é: vire cliente da marca que você tem interesse! Isso te ajuda a ver se o que eles prometem ao cliente é realmente entregue e vai te ajudar a escolher a franquia ideal.

5: Comprar uma franquia nova que está “bombando” é uma boa oportunidade

Comprar uma franquia em razão da sua alta taxa de crescimento pode ser um “tiro na água”! Escolher um negócio porque a rede está abrindo muitas unidades é como escolher uma cor de roupa que está na moda hoje para se usar pelos próximos anos.

A princípio pode parecer uma opção segura, afinal há tanta gente investindo naquela franquia que ela deve ser um negócio espetacular! Mas lembre-se que, assim como na moda, outras tendências virão e aquela super novidade que virou febre provavelmente vai ficar ultrapassada. Quem se lembra da febre de franquias de iogurte frozen que explodiu em 2010 e praticamente sumiu pouco tempo depois?

Ao olhar para uma franquia, pense em como será viver com esse tipo de negócio todo dia pelos próximos 5 ou 10 anos.

Mitos sobre franquias 6: Franquias são engessadas

É fato que redes de franquias possuem manuais, procedimentos e instruções que dão certo e que precisam ser seguidos, mas isso não significa que o franqueado não possa contribuir com ideias para aprimorar o negócio.

Se um franqueado tiver uma ideia inovadora que seja interessante para a marca como um novo produto que pode ser oferecido ou um novo canal de vendas, vale muito a pena procurar o franqueador e apresentar a sugestão, em muitos casos eles estão abertos a isso e dão muito valor às contribuições da rede. Redes de franquia precisam sempre se manter atualizadas e à frente da concorrência e ninguém melhor para perceber as mudanças necessárias do que quem está no dia a dia da operação, não é mesmo?

Acertando a escolha após conhecer os mitos sobre franquia

Agora que eu já te contei algumas verdades e esclareci alguns dos principais mitos sobre franquias você está bem mais próximo de encontrar uma franquia adequada para o seu perfil e que seja ideal para você. Neste artigo que eu escrevi, você vai encontrar dicas para te ajudar a não errar na escolha da franquia.

Boa leitura 😊

Quer saber mais sobre como podemos ajudar a sua empresa com serviços de escritório sobre demanda? QUERO CONHECER OS SERVIÇOS!

Quer ser dono de um coworking com todas essas estratégias de satisfação e retenção de clientes? QUERO SER UM FRANQUEADO!

Antes mesmo de pesquisar sobre as redes de franquias, toda pessoa que pretende se tornar um franqueado deve ler a Lei de Franquias. Esta Lei foi um marco no mercado de Franchising brasileiro e neste artigo eu vou falar um pouco sobre esse documento. Vou te dar algumas informações que você precisa saber sobre a Lei das Franquias ou Lei do Franchising e que vão te ajudar a ser um franqueado de sucesso.

Lei das franquias é a norma que regulariza as negociações para a abertura de franquias no Brasil.  Sua primeira versão foi sancionada no governo Itamar Franco em 1994 com objetivo de estabelecer regras para os contratos de franchising e dar outras providências, transmitindo assim mais segurança e confiança aos investidores brasileiros. Com a aprovação da Lei, na década de 1990, houve um crescimento considerável no setor, que também foi impulsionado pelo aprimoramento das técnicas de gestão, de repasse de conhecimento e de organização do franchising.

No dia 26 de março de 2020 entrou em vigor a Nova Lei de Franquias (Lei n.° 13.966/2019), que revogou e substituiu a Lei nº 8.955/94, obrigando as Redes de Franquias que operam no Brasil a revisarem e atualizarem seus contratos e, principalmente, revisão das informações iniciais que são passadas ao candidato a franqueado. Aliás, o país é um dos poucos que possuem uma lei exclusiva para esse modelo de negócio. 

Muitos dos problemas causados pela versão mais antiga da Lei aconteciam por falta de regras mais simples e transparentes, que davam margem à dupla interpretação. Os documentos e contratos passaram a ser mais detalhados, com cláusulas claras que dão segurança tanto ao franqueado quanto à rede franqueadora. 

Principais mudanças da Nova Lei das Franquias

Mudanças na COF

A rede franqueadora deve, obrigatoriamente, enviar ao candidato a franqueado a Circular de Oferta de Franquia (COF). Conforme previsto na lei, o documento deve ser entregue ao franqueado até 10 dias antes da assinatura do contrato e deve conter os seguintes dados:

Valores de investimento: a COF deve conter a estimativa de todos os valores de investimento que o franqueado deverá fazer. Isso inclui valor da taxa de franquia, adequações no imóvel, capital de giro, investimento em estoque, compra de equipamentos, entre outras;

Valor mínimo para compras e estoque: nos casos de redes franqueadoras que fornecem produtos ou insumos aos franqueados, deve ficar claro se há um valor mínimo mensal que o franqueado deverá comprar da rede e em quais situações o investidor poderá recusar a cota;

Validade e prazos: devem constar informações sobre validade de contrato (data de início e término) e sua renovação. Deverá ficar claro se ao término do contrato é necessário o pagamento de nova taxa de franquia ou outro valor por parte do franqueado. Além disso, quais são as punições se houver descumprimento das regras;

Lista dos franqueados: a COF deve conter o contato de todos os franqueados ativos na rede e dos deixaram a rede nos últimos 24 meses;

Regras de concorrência: o franqueador deve especificar as principais regras de concorrência da rede, incluindo a área de atuação, se há exclusividade, se há algum tipo de preferência tanto para unidades próprias quanto para as franqueadas;

Questões de sucessão e transferência de contrato: o documento deve abordar as regras para os casos de transferência do contrato. Se isso é possível, quais os casos possíveis, como será feita a sucessão, se há multa, se há necessidade de pagamento de novas taxas e quais são as políticas a serem seguidas; 

Conselhos ou associações: o contrato deve estipular se a rede tem um conselho ou associação de franqueados;

Treinamento e transferência de conhecimento: as especificações de treinamentos passam a ser obrigatórias, necessitando informar sua duração, conteúdo, onde serão feitos  se houver necessidade de viagem quem arcará com estes custos;

Vínculos trabalhistas

Durante muitos anos houve um conflito grande com relação a esse assunto, o que gerava insegurança jurídica para o franqueador e franqueado.

Por se tratar de uma relação entre dois empresários, a nova lei deixa claro que o funcionário do franqueado não tem nenhum vínculo trabalhista com a rede franqueadora. Apesar da maioria das marcas ajudarem a selecionar os primeiros colaboradores, treiná-los e até mesmo estabelecer o perfil ideal dos funcionários, o responsável por eles será sempre o franqueado. 

Dessa forma, todas as obrigações trabalhistas passam a ser vinculadas ao CNPJ da franquia. Os salários e benefícios são definidos por ela, embora a franqueadora possa dar orientações e sugestões ao franqueado.

De acordo com a nova lei, mesmo em período de treinamento — seja ele presencial em uma unidade da franqueadora ou não, o vínculo empregatício continua com o franqueado. 

Sublocação do ponto comercial

Outra alteração que ajudou a esclarecer algumas situações foi a inclusão de um artigo que trata exclusivamente da sublocação de pontos comerciais pelo franqueado. Agora a rede franqueadora pode alugar um ponto comercial e sublocar para o franqueado. Isso faz parte da estratégia de algumas redes, mas antes havia um conflito jurídico nessa questão. 

Ambas as partes devem fazer parte do contrato de locação e a exclusão de uma das partes só é possível caso o franqueado ou franqueador descumpra alguma das obrigações com o locatário, como por exemplo se estiver inadimplente.

Estudando a Lei das Franquias 

Ter o conhecimento de todos esses pontos é muito importante se você está pensando em comprar uma franquia. Além de te ajudar a escolher a melhor opção de franquia, seu entendimento evitará que você tenha surpresas durante a operação e frustrações em função de regras mal compreendidas.

A lei de franquias aborda todos os pontos relevantes do franchising, seu texto é de fácil leitura e compreensão. Baixe o arquivo, leia com bastante atenção, tire todas as dúvidas com o franqueador, consulte profissionais especializados se for o caso e pesquise bastante antes de comprar uma franquia. O sucesso depende exclusivamente de você, mas uma boa escolha é o primeiro passo para o negócio dar certo.

Quer saber mais sobre como podemos ajudar a sua empresa com serviços de escritório sobre demanda? QUERO CONHECER OS SERVIÇOS!

Quer ser dono de um coworking com todas essas estratégias de satisfação e retenção de clientes? QUERO SER UM FRANQUEADO!

Quer investir suas economias mas ainda não sabe se é melhor abrir uma franquia ou começar seu próprio negócio do zero? Nesse texto vou te dar algumas informações e te mostrar porque as franquias são uma boa opção para empreender para quem não sabe por onde começar.

Antes de começar eu quero acabar de vez com o mito de que uma franquia dá menos dor de cabeça do que um negócio independente. Se você acredita que vai abrir uma franquia e automaticamente o sucesso está garantido, sinto te informar, mas você está iludido! Uma franquia é uma empresa e não existe sucesso em negócios sem dedicação e trabalho duro.  

Por outro lado, tirar uma ideia do papel e transformá-la em um negócio requer muito esforço, muita dedicação, muito estudo e em alguns casos muito investimento de capital. E é aí que entra a maior vantagem que você terá ao abrir uma franquia.

Opção para empreender com modelo validado

Ao decidir por este tipo de negócio, você estará investindo em um conhecimento que foi acumulado ao longo de muitos anos. As franquias são modelos de negócios que já foram testados junto ao público. Ou seja, já foi feito todo o trabalho de pesquisa de mercado, de construção a validação do modelo de negócios, definição de público-alvo, busca de fornecedores, precificação dos serviços/ produtos, elaboração de processos e muitas outras coisas que a rede franqueadora já conseguiu definir ao longo de todo esse tempo em que está no mercado. Estas são informações valiosíssimas que você levaria anos para reunir. Uma falha em qualquer um destes pontos citados acima pode sacramentar o fracasso de uma empresa!

Marca conhecida

Outro ponto relevante é que a marca franqueadora já possui uma imagem construída no mercado, facilitando a identificação do negócio junto aos clientes. Já foi feito todo o trabalho de branding (que é o estudo da marca), construção do site, além das estratégias de divulgação e de aquisição de clientes.

Opção para empreender com ajuda

Ao comprar uma franquia, você passa também a ter acesso a todo o suporte que ela pode oferecer. Se algo não está saindo como o planejado, por exemplo, a franqueadora te prestará assistência e te orientará como proceder e reverter o quadro, se for preciso.

Gestão eficiente

Ao criar um modelo de sucesso, as redes franqueadoras já aplicam as boas práticas de gestão e observam os indicadores de performance que são importantes para aquele negócio. Todo esse conhecimento será passado para o franqueado durante os treinamentos e saber quais indicativos acompanhar e o que significam estes números é muito importante para a saúde da unidade franqueada.

Além disso, como a rede possui várias unidades é possível comparar dados como uma forma de medir os resultados e também traçar estratégias para melhoras os índices. Esta é uma vantagem muito grande que o franqueado tem ao fazer parte de uma rede.

Maior probabilidade de sucesso

Na avaliação da Associação Brasileira de Franchising (ABF), de acordo com estudos do SEBRAE, a taxa de mortalidade de uma unidade franqueadora em 10 anos é de 15% enquanto para uma unidade independente é de 75%. Ou seja, a possibilidade de você ter sucesso sendo um franqueado é 5x maior do que se você resolver criar uma empresa de forma independente. 

Ainda segundo a ABF, a maioria das redes de franquias que atuam no mercado brasileiro estimam que o franqueado deve recuperar o investimento feito na franquia em até 30 meses. Existem franquias com prazo de retorno de investimento ainda menor, como é o caso da franquia do Coworking Town. Se compararmos com investimentos tradicionais, o retorno financeiro de uma franquia é bem mais interessante do que as carteiras de investimento nas corretoras no Brasil, tornando uma excelente opção para empreender.

Se você quiser conhecer um pouco mais sobre franquias de coworking, eu separei esse artigo aqui que vai te ajudar a conhecer melhor sobre esse mercado sólido e promissor.

Quer saber mais sobre como podemos ajudar a sua empresa com serviços de escritório sobre demanda? QUERO CONHECER OS SERVIÇOS!

Quer ser dono de um coworking com todas essas estratégias de satisfação e retenção de clientes? QUERO SER UM FRANQUEADO!

Está pensando em empreender e quer saber o que é franquia? Aqui neste artigo você vai conhecer como funciona esse modelo de negócios e quais são as principais informações sobre esse mercado.

Segundo a Lei de Franquias, o franchising é “o sistema pelo qual um franqueador cede ao franqueado o direito de uso de marca ou patente, associado ao direito de distribuição exclusiva ou semi-exclusiva de produtos ou serviços e, eventualmente, também ao direito de uso de tecnologia de implantação e administração de negócio ou sistema operacional desenvolvidos ou detidos pelo franqueador, mediante remuneração direta ou indireta, sem que, no entanto, fique caracterizado vínculo empregatício.”

Abrir uma franquia tem se tornado cada vez mais uma opção de negócio para o empreendedor brasileiro. Diante de uma crise econômica causada pela pandemia de COVID-19, muitas pessoas buscam uma franquia, seja porque perderam seus empregos ou porque os demais tipos de investimento não estão dando retorno satisfatório.

Como funciona uma franquia

Segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), o mercado de franquias no Brasil é um dos mais estáveis do mundo e vem ao longo dos anos registrando crescimento contínuo.  Por este motivo, mesmo em períodos de crise este tipo de negócio é uma opção segura para quem quer empreender.

 De forma geral, franquia é transferência de conhecimento do franqueador para o franqueado!

Modelo e taxas

O franqueador desenvolveu um modelo de negócio replicável, validado e adquiriu muito conhecimento ao longo desse processo. Então ele permite que você (franqueado) copie e replique esse modelo de sucesso. Uma franquia pode ser uma loja, uma lanchonete, uma escola de idiomas, uma empresa que presta serviços e até mesmo uma franquia de Coworking!

Para usar a marca e para receber todo o conhecimento do franqueador, é normal que seja cobrada uma taxa inicial de franquia que deverá ser paga na assinatura do contrato e também royalties que são um percentual do faturamento mensal da unidade franqueada.

Suporte e treinamentos

A rede franqueadora, por sua vez, é responsável por fornecer suporte ao franqueado e transmitir a ele todas as informações que vão desde as tarefas operacionais, processo de vendas, gestão administrativa, contábil e financeira.

A transmissão de conhecimento pode ocorrer por meio da disponibilização de manuais, treinamentos EAD ou presenciais. O objetivo é preparar o empreendedor para que ele conheça profundamente a marca, sua estrutura, seu modelo de negócio e para que tenha o know-how necessário para levar o negócio adiante.

Taxa de sucesso

É muito importante você ter em mente que franquia não é sinônimo de garantia de sucesso. Muita gente acha que ao assinar um contrato de franquia terá faturamento garantido e resultado certo. Esse é um dos mitos sobre franquias! Não é bem assim que funciona e quem te disser isso está mentindo!

É óbvio que a probabilidade de sucesso de uma franquia é muito maior do que se você resolver montar uma empresa do zero, por exemplo. De acordo com o SEBRAE, a taxa de mortalidade de uma unidade franqueadora em 10 anos é de 15% enquanto para uma unidade independente é de 75%.

Ou seja, a possibilidade de você ter sucesso sendo um franqueado é 5x maior do que se você resolver criar uma empresa de forma independente.  

Escolhendo a sua franquia

Existem vários tipos de franquias e você deverá escolher aquele segmento com o qual mais se identifica. Por exemplo: só escolha uma franquia de hotelaria e turismo se você gosta de viajar, tem interesse no assunto e gosta de lidar com a história e experiência das pessoas. Se você gosta mais de questões técnicas de informática, tem afinidade com eletrônicos e equipamentos, talvez uma franquia de manutenção de computadores faça mais sentido para você.

Agora que você já sabe o que é uma franquia dê uma olhada nesse artigo aqui onde eu dou dicas para te ajudar a não errar na escolha da franquia!

Quer saber mais sobre como podemos ajudar a sua empresa com serviços de escritório sobre demanda? QUERO CONHECER OS SERVIÇOS!

Quer ser dono de um coworking com todas essas estratégias de satisfação e retenção de clientes? QUERO SER UM FRANQUEADO!

Hoje temos um projeto sólido de franquia de coworking, mas começamos a nossa história em 2016, com apenas 90 metros quadrados, 24 estações de trabalho e quando os espaços de coworking ainda eram praticamente inexistentes no Brasil.

Ao longo desses 4 anos foram muitas pesquisas com referências internacionais, testes e principalmente muito conversa para saber o que os nossos clientes tinham e tem a dizer. Com isso, ajustamos constantemente os nossos serviços para conseguir entregar algo muito acima da média. O resultado não poderia ser outro senão excelentes índices de ocupação.

Hoje nos orgulhamos muito de ter dois escritórios próprios, mais de 100 estações de trabalho e 1300 empresas atendidas. Ganhamos o prêmio de empreendedorismo pela ABIH-RJ em 2019 e o do Coworking Brasil como um dos coworkings mais populares do Brasil!

Também analisamos cuidadosamente as nossas finanças para entender onde estavam os principais pontos de melhoria. Desde o investimento inicial até os custos mensais, tributação e os modelos de cobrança tudo foi visto e revisto até chegar no estágio atual. O resultado é uma operação financeiramente muito sólida, de baixa inadimplência, pouco sazonalidade, excelentes margens e uma gestão simplificada.

É importante frisar que a minha sócia Giselle e eu, estamos de frente na operação até hoje. Como montamos tudo do zero, conhecemos a fundo todas as rotinas, perfis de clientes e possíveis problemas, inclusive da obra. O que falamos e ensinamos na franquia não foi o que outra pessoa passou e sim o que construímos e vivemos. Por isso, temos propriedade para treinar os nossos franqueados!

Por fim, é a combinação de todos esses fatores que torna a nossa franquia única. No Brasil não existe nada parecido com o que oferecemos tendo os nossos resultados como garantia.

Você pode pular etapas e evitar cometer os mesmos erros que nós cometemos. Portanto, continue lendo para conhecer melhor os principais benefícios da nossa franquia de coworking e não perder essa oportunidade.

Implantação de uma franquia de coworking

Escolha do local ideal

Esse é o primeiro item a considerar ao abrir um coworking e também o mais importante. O ponto comercial é vital para o sucesso comercial de uma unidade do Coworking Town. É ele que vai atrair os seus clientes em um primeiro momento e despertar a demanda necessária.

Além disso, o estado do imóvel e as suas características podem alterar e muito o investimento inicial e a viabilidade de uma franquia de coworking. É preciso conhecimento para mapear tudo e fazer a melhor escolha.

Adaptação do imóvel para um franquia de coworking

É comum associar obra à dor de cabeça, imprevistos, estouro de prazo e orçamento. Para fins comerciais, isso é ainda mais latente. Afinal, aumentos no orçamento e no prazo influenciam diretamente na rentabilidade do negócio.

No Coworking Town o que poderia ser um problema é na verdade parte da solução. Sou engenheiro civil de formação e os nossos escritórios próprios foram todos projetados e reformados por mim. Isso nos garantiu um conhecimento enorme nessa etapa que é primordial.

Nas franquias é a nossa equipe própria que projeta e faz o gerenciamento das obras (ainda é necessária uma equipe local) para garantir qualidade, prazo e o orçamento dentro do esperado e dos nossos padrões de excelência.

Projeto de arquitetura

O conhecimento dos custos e dificuldades da obra somado ao nosso trabalho no dia a dia operacional produziu resultados incríveis. Conseguimos por exemplo saber a disposição ideal dos cômodos (recepção, banheiros, espaço para o café, estações de trabalho), saber o que cada sala precisa para ficar bem iluminada, saber a circulação ideal e também como deixar os ambientes silenciosos.

Nesse pacote também estão as necessidades técnicas. Pode parecer simples, mas qual é o modelo de impressora que deve ser usado? Qual é a internet deve ser contratada? Qual filtro, geladeira, cadeiras, mesas e etc?

Nossa experiência hoje nos garante todas essas respostas para que os franqueados não percam tempo e principalmente não cometam erros nessa etapa. Sem esse conhecimento, depois de tudo pronto, o resultado comercial será abaixo do esperado e os custos para refazer serão altos.

Velocidade de uma franquia de coworking

Saber o que fazer e como fazer também garante uma obra muito mais rápida. Afinal, conseguimos definir com exatidão qual é a especificação dos materiais, onde comprar, quando comprar e como executar. Essa curva de aprendizado é facilmente exemplificada pela nossa evolução no prazo de execução desde a nossa primeira obra.

Olha só que incrível:

Velocidade de execução das obras/franquias de coworking

Desempenho comercial

Geração de demanda na franquia de coworking

Ao longo dos anos temos aprimorado constantemente as nossas campanhas de marketing e divulgação, melhorando consideravelmente o resultado do nosso funil de vendas. Entre os principais pontos temos:

• Testes por canais como as diferentes redes sociais e sites de parceiros;
• Otimização do nosso site para melhorar a qualidade e as taxas de conversão;
• Estratégias para melhorar o nosso ranqueamento no Google.

Para alguém que está começando do zero, mesmo com uma equipe muito competente, vai demorar para ter resultados nisso. São necessários muitos investimentos, dados, feedbacks de clientes e muito trabalho até que tudo esteja otimizado. Temos dezenas de artigos no blog, milhares de seguidores nas redes sociais, centenas de milhares de acessos no nosso site e campanhas já totalmente otimizadas.

No caso da nossa franquia, além de já ter tudo isso, é a nossa equipe que cuida da estratégia de marketing de cada unidade franqueada. Absolutamente tudo que fizemos e deu certo para nós é aplicado para os franqueados!

Funil de vendas

Não adianta gerar demanda e não conseguir converter isso em vendas. Temos abordagens e estratégias específicas para cada tipo de serviço, perfil de cliente e etapa no funil de vendas. Boa parte do treinamento inicial dos franqueados é focado exclusivamente nisso, inclusive.

Fornecemos ainda os templates de e-mail que criamos para as mais diversas situações e usamos um dos melhores CRM de vendas do mundo para monitorar todo o processo. A nossa diretoria comercial acompanha tudo de perto para atingirmos juntos grandes resultados em vendas.

Retenção de clientes

Assim como no item anterior, não basta vender muito se você perde clientes na mesma velocidade. Com isso em mente, desenvolvemos algumas soluções para identificar o perfil de cada cliente, oferecer o melhor serviço, criamos modelos de contrato, estratégias de precificação e realizamos frequentemente pesquisas de satisfação para recolher feedback dos nossos clientes.

Muitas das melhorias que fizemos foram frutos desse feedback. Não à toa as nossas unidades operam hoje com altos índices de satisfação e ainda temos clientes ativos que iniciaram conosco lá no início.

Resultados do coworking na pandemia

Como você já deve ter percebido, o nosso resultado financeiro não é um acaso. Temos espaços adequados as necessidades de cada clientes, geração de demanda constante, preços e contratos adequados, estratégia para fechamento de vendas bem definida e estratégias de retenção.

É por isso que mesmo em um cenário de pandemia com restrições de circulação o nosso resultado foi positivo em TODOS os meses de 2020.

resultados de uma franquia de coworking na crise

Expansão por franquias

Valorizando o empreendedor

Nosso objetivo como empresa é ajudar com que mais empreendedores prosperem. Fazemos isso com os nossos planos e serviços, mas uma coisa que percebemos e que nos ajudou muito foi o fato de também sermos empreendedores. Esse foi um dos pontos principais que nos fizeram optar pela expansão por franquias.

Poderíamos abrir novas unidades e ter gerentes de frente, mas achamos que ter um franqueado na ponta é muito melhor. São muitos os benefícios:

• Ter um dono cuidando da operação;
• Ter um empreendedor atendendo os nossos clientes também empreendedores e entendendo as suas dores;
• Aproveitar o conhecimento local do franqueado.

Queremos prestar o mesmo serviço de alta qualidade em todas as nossas unidades e o modelo de franquias foi o que se mostrou o mais adequado. Além disso, nesse modelo seguimos cumprindo a nossa missão de ajudar empreendedores. Foi o casamento perfeito!

Benefícios de um rede

Um outro ponto legal do modelo de franquias é que você consegue expandir mais rápido, já que cada franqueado é responsável pelo seu investimento. À medida que a rede vai crescendo todos são beneficiados, pois a marca ganha mais notoriedade e os clientes ganham mais opções.

Imagine uma grande empresa com funcionários espalhados por vários bairros e cidades. Seria legal se ela pudesse fazer um único contrato regional/nacional para todos os seus funcionários, não acha?

Conseguir algo do tipo de maneira isolada seria quase impossível ou levaria muitos e muitos anos. Entretanto, com a franquia isso pode ser atingido em poucos anos!

Gestão na franquia de coworking

Todo mundo que estudou gestão já ouviu a frase: Aquilo que não pode ser medido não pode ser gerenciado. Aqui no Coworking Town temos softwares nos auxiliando em TODAS as rotinas da empresa. Mencionamos mais acima o CRM de vendas, mas também temos ferramentas para cuidar de toda a nossa gestão financeira e de contratos.

Esses sistemas funcionam na nuvem, são interligados e possuem muitas automações que facilitam a nossa rotina. Dessa forma, conseguimos otimizar o nosso tempo e ter os dados em tempo real de tudo que acontece em cada unidade seja franqueada ou própria e assim identificar e atuar onde mais precisa.

Mão de obra

É sabido que o Brasil tem um déficit de qualidade de mão de obra. Algumas empresas têm diversas vagas abertas que simplesmente não conseguem preencher e quando achar ainda é difícil de manter esse funcionário. O custo de contratação também é muito elevado, trazendo um risco de passivo trabalhista grande.

Por isso, investimos em soluções para o nosso coworking funcionar com poucas pessoas. Nosso modelo funciona com apenas uma pessoa de frente na operação e mais uma apenas para o suporte e outras rotinas. Em algumas situações são apenas os franqueados na operação, como foi o nosso caso enquanto tínhamos apenas uma unidade.

Nossa equipe também participa e ajuda no processo de seleção dos funcionários, identificando os principais requisitos, auxiliando na divulgação da vaga e até participando das entrevistas se for necessário. Tudo para garantir um time de primeira!

A melhor franquia de coworking

Mercado de coworking

Segundo o Censo Coworking Brasil de 2019, são 1.497 espaços de coworking conhecidos no Brasil, um crescimento de 25% em relação a 2018 e 530% em relação a 2015. Os principais motivos que fazem esse mercado crescer tanto são a flexibilidade nos modelos de contratação, redução de custos e aumento da produtividade.

O que temos visto nos últimos meses é um crescimento ainda maior na procura pelos nossos serviços e muitas pesquisas indicam o mesmo. O futuro do mercado de imóveis comerciais é sem dúvida flexível.

Treinamentos e suporte na franquia de coworking

Parte fundamental no processo, criamos um treinamento inicial muito robusto com uma parte presencial e outra online para ser realizado durante o período de obra. Todas as rotinas também estão amplamente documentadas e presentes no nosso manual da franquia para serem consultadas sempre que possível, assim como o nosso suporte que é irrestrito durante todo o tempo.

É o nosso nome que está em jogo e só teremos sucesso se os nossos franqueados tiverem sucesso.

Momento certo para investir

Estamos em um momento único para o mercado de coworking e para nós do Coworking Town. A pandemia aumentou a vacância de imóveis e fez com que mais pessoas procurassem os coworkings. O resultado prático desses dois fatores são enormes oportunidades para explorar no mercado de imóveis comerciais.

Pelo nosso lado, como estamos no início do processo de expansão, os principais territórios ainda estão disponíveis e somos nós, os fundadores, que estamos participando diretamente dos treinamentos dos primeiros franqueados. Com toda certeza serão os melhores treinamentos possíveis que os novos empreendedores poderão ter.

Escolha segura para investir na franquia de coworking

Abrir um novo negócio é sempre uma aposta. No entanto, na franquia é uma aposta menos arriscada porque você está comprando todo o conhecimento e suporte de quem já está fazendo acontecer. Ao longo desse artigo explicamos e demos exemplo dos principais pontos que fazem da nossa franquia a melhor opção para quem quer investir no mercado de coworking.

Investir no momento certo e sem precisar cometer os erros que cometemos pode ser o diferencial para o seu novo negócio ter sucesso. Já pensou nisso?

Nesse processo de expansão temos recebido muitos contatos de donos de coworking que estão passando dificuldades. Coworking não é simplesmente colocar mesa e cadeira com internet em um imóvel, existe um racional por trás de tudo que fazemos. Somente após muitos erros e acertos que adquirimos total confiança para expandir com esse modelo.

Estamos sendo muito criteriosos na escolha dos nossos franqueados e na escolha locais para sermos bem sucedidos nessa expansão. Esperamos que você seja um deles para nos ajudar a criar a maior rede de coworking do Brasil.

**Post escrito por Théo Venturelli, fundador e diretor do Coworking Town.**

Quer saber mais sobre como podemos ajudar a sua empresa com serviços de escritório sobre demanda? QUERO CONHECER OS SERVIÇOS!

Quer ser dono de um coworking com todas essas estratégias de satisfação e retenção de clientes? QUERO SER UM FRANQUEADO!